Reajuste divide opiniões entre servidores municipais

by gerente / mar 23, 2015 / 0 comentários

As negociações envolvendo a Prefeitura e os servidores municipais tiveram mais um importante capítulo essa semana. Depois de três meses de conversas, discordâncias, assembléias e reivindicações, teriam sido acertados os valores de reajuste salarial para o ano de 2015. Os professores do Município terão aumento de 13,01%, além de 10% no Refeisul. Para o restante dos servidores, o reajuste seria de 7,7%. O Executivo se manifestou com satisfação sobre o final dessa etapa das negociações. Entre os servidores, porém, o acordo não é unânime. Os novos valores não são retroativos e começam a ser aplicados a partir de março.Para a presidente do Sindicato dos Professores do Município, Márcia Rejane da Silva, o reajuste é uma grande vitória para a categoria. Ela destaca o diálogo estabelecido com o Executivo e o fato de o Prefeito Henrique Tavares manifestar que as negociações ainda estão abertas, caso haja receita para isso.Já os representantes do SindiGuaíba e do Guaibaprev entendem que o reajuste está abaixo do esperado, pois seria de valor equivalente ao observada na inflação. Além disso, eles alegam que se trata de apenas uma das demandas necessárias para uma valorização adequada do quadro geral de funcionários. Questões como a reabertura do refeitório e a consolidação de pontos importantes do Plano de Carreira são reclamadas pelos servidores. "Estamos falando de algo mais amplo do que um aumento salarial. É claro que esperamos uma remuneração mais justa. Mas o Executivo precisa entender que investir no servidor, contribuindo para sua qualidade de vida e seu crescimento profissional, é investir na cidade e no serviço prestado. E esse tipo de política pública de administração nós não estamos vendo na Prefeitura de Guaíba", explica Paulo Maganha, diretor do Guaibaprev.Para o prefeito Henrique Tavares, o resultado foi muito positivo e o diálogo, fundamental nesse processo. "Estamos satisfeitos, pois conseguimos equilibrar a valorização de nosso quadro, sem comprometer nosso orçamento", disse. Sobre as reclamações dos dirigentes sindicais, o chefe do Executivo demonstrou surpresa. "Penso o contrário. A criação do Plano de Carreira é um exemplo da preocupação do Município em qualificar seus servidores, oportunizando seu crescimento".Além do reajuste, o acordo propõe um incremento, caso a receita do Município em 2015 supere a do ano passado. O cálculo terá como base o período até o mês de agosto. Caso haja crescimento de 3,5% na receita, os servidores receberão acréscimo de 0,5%. Se o valor chegar a 7%, os salários sobem 1%. E se o Município arrecadar 10,5% a mais do que em 2014, 1,5% serão incorporados à remuneração. As previsões iniciais do Executivo, contudo, indicam para esse ano uma arrecadação menor do que a de 2014. 

Comentários (0)

Deixar um comentário